Resenha: Crime e Castigo, Fiódor Dostoiévski | Bang Bang Escrevi

Resenha: Crime e Castigo, Fiódor Dostoiévski

7 de abr de 2013
Crime e Castigo - Fiódor Dostoiévski


Esse é da lista dos antigos desejados a serem lidos e nunca tive a oportunidade até descobrir que na biblioteca da Base de Polícia do meu bairro o tinha. Então, é claro, foi meu primeiro empréstimo.

O livro conta a história de um crime praticado por Rodion Romanôvitch Raskolnikov que comete um assassinato para provar-se digno de fazer parte dos grandes como, Napoleão. Tudo por acreditar que a sociedade é divida em duas classes a capaz de fazer grandes coisas e a que simplesmente seguiria a sombra da outra. O dilema do livro é sobre as consequências de cometer tal ato e de como o personagem principal sofrerá com isso, o sentimento de culpa e o isolamento e como ele ira agir em tais situações.

O legal, é que o Dostoiévski brincou muito com  a língua russa durante o livro, os nomes dos personagens, os mais marcantes pelo menos, possuem uma relação com seus estados, o próprio Raskonikov vem de raskolnik que significa cisma. Sobre línguas ainda, o alemão e o francês são muito presentes também no livro. Outro aspecto é o tempo, estimo que as 500 páginas tenham coberto um período de mais ou menos um mês, depois de ler bastante, você se da conta disso, de que aconteceram um milhão de coisas e de repente o autor vem com aquelas "ao se lembrar de que três dias atrás" e percebe-se que o tempo não passa. 

Isso é o motivo de muitas pessoas não gostarem desse tipo de livro, a maior parte dele acontece dentro da cabeça do personagem principal e os diálogos são maçantes o que é óbvio que aconteceria, ninguém explica uma teoria dizendo "oi, tudo bem?"-"Sim, e você?" e além disso, o estilo do escrita é complexo e as vezes você se perde, ou se por algum momento perder o foco você vai perceber que não entendeu o parágrafo. Esse é crime e castigo, um livro sobre a consciência humana e que necessita de total atenção.

A edição, vou falar vintage, pra não falar antiga que foi resultado da parceria da empresa Suzano com a Editora Nova Cultural, possui capa-dura e desenhos em dourado na capa. É uma pena que durante a pesquisa descobri que a Editora Nova Cultural teve problemas de plágio pela tradução, mas esse não é o ponto e o que importa para nós leitores é a história, desde que seja verdadeira - Digo, fiel a original -, mesmo plagiada, está valendo.
Victor Candiani

Uma pessoa que gasta muito tempo com livros, filmes e séries.

Comentários
0 Comentários
Deixe seu comentário
Postar um comentário

 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.