Abril 2012 | Bang Bang Escrevi

Sonetos dos Sentidos: Olfato

30 de abr de 2012
Seu doce cheiro vem forasteiro embriagar a noite
com o objetivo de tirar meu sono como uma foice.
Feito nota musical que transita pelo ar leve e solto,
tão bom, tão pouco e tão impregnado na roupa.

A perdida comida que o cão busca com seu focinho,
o alguém na multidão que busca um caminho.
A andorinha que depois do inverno vem refazer seu lar,
o pobre homem deitado em sua cama com o coração a dar.

Mas não tarda ao coitado seu destino encontrar,
nos limites do improvável o que possa acontecer
e antes de que possa perceber o inebriante cheiro doce voltar.

Mas também não tarda ao pobre homem adormecer,
e esquecer que nesse breve momento a dormir está
venha assim  a justiça da paixão agir e com a linda donzela sonhar.

Minha natureza selvagem

27 de abr de 2012
Engraçado é a forma que as coisas começam. A não intenção de começar evaporando e o desejo nos consumindo. Sexo é como uma pintura, um desenho do artista quando junta todas as memórias e com ódio, zelo, raiva e amor se torna o selvagem diante da sua tela e pinta todo o seu sentimento.
Vejo suas mãos apertando o travesseiro cada vez mais forte e sinto seu corpo começando a mexer junto com o meu e tudo ficando mais intenso. Dou preferência a profundida só pra ouvir você gemer, agarro seus cabelos e puxo-os pra escutar uma inspiração entre dentes cerrados. Sufoco-te pelo silêncio e pelo sorriso de alívio. E de costas pra mim ainda vejo seu cabelo se espalhar pela sua pele morena quando solto-o. Te aperto inteira como se pudesse te fundir a mim, te dou dedos e todos artifícios para se distrair ou se excitar. Me dou a você e nesse momento me sinto vivo, parte de alguém, parte do mundo.
E agora, te venero, te beijo dos pés - e como adoro seus pés - a cabeça. Deixo que você partilhe disso, desse poder, essa dominação... E como o voo de uma águia ou o bramar de um urso, no momento mais vital, mai selvagem, gasta todas as suas forças apertando, mordendo e arranhando. Convocando um tremer de pernas com toda energia que seu corpo lhe permite. A ponto de ser visível os batimentos cardíacos da fera sob sua pele suada e o ar inebriado com sua respiração ofegante.
Busco instintamente para saber se ainda está ali a presa, a amada, minha natureza selvagem.

Inquieta imaginação

25 de abr de 2012
Não consigo parar de imaginar você me consumindo.
Friccionando, apertado e a boca abrindo.
Olhando pra mim. Segurando, apertando, entrando e saindo.
A vontade de ver chegar o fim.

O calor da sua língua queimando em mim
com sua respiração ofegante, enfim.
O esforço do seu entusiasmo delirante
tentando me cansar sem sair daqui.

O seu sorriso calado aos meus olhos revirados.
Meus músculos contraídos dentro e fora de você.
Prazer sádico de sentir o corpo tremer.
Só eu e você. Eu e você. Eu-e-você.
Até a exaustão aparecer.

Idios #03: 2 Coelhos, Música, TV e Maconha

O primeiro assunto é o filme 2 coelhos. Imagine pegar a corrupção e os favorecidos por ela (bandidos e afins) e colocá-los em rota de colisão... É essa a missão de Edgar (Fernando Alves Pinto). O filme é do diretor Afonso Poyart e, por sinal, o roteiro e a montagem são excelentes, bem diferentes do padrão brasileiro, a montagem fica parecida com a de Tropa de Elite 2 a temática é a mesma o que muda é a abordagem, diria um pouco mais eficiente.
Página do Adoro Cinema do filme 2 coelhos

Agora vamos de música. O mito dessa idios é o Dave Crowe. Anthofuckingmithologic do Beatbox supremo dos montes polares da patagônia.


Escuta a macumba aí, sei que é grande, mas senão tiver paciência vai pro finalzinho quando ele pega a gaita.

Agora vamos de TV. Chato esse negócio da panicat né? Sensacionalismo pragmático de sempre. A dica: Desista da TV seu ser inútil.

E por último: A MACONHA
O Santo Daime proibido SOKASOKASKA
É intriga de estado não discutir isso, porque sabe que a discussão invalida qualquer opinião que proíba o uso. Eu não vou ficar falando se pode ou não, nem vou dar argumentos que invalidem ou validem a tese. O esquema aqui, por ser um assunto polêmico é você ir atrás da informação pra formar a sua opinião. Vou ajudar indicando alguns links que já dei uma olhada.

Desce a letra - 420
Bom, por hoje é só.

Negação

20 de abr de 2012
As pessoas cometem erros durante a vida inteira.
Depois tentam consertar de qualquer maneira,
só esquecem que aqui fora não existe backspace
e que tudo que foi escrito não pode ser editado.

Tenho essa mania de tornar as coisas inesquecíveis,
ora mais, escrever é a minha vida.
É tão minha vida que nem pra isso recebo
E mesmo assim, quando erro, nem percebo.

Detesto perfeição e, de quebra, idolatro a ilusão;
é disso que vivo, extração de ironia e falsidade.
Dois minérios preciosos nas minas de relacionamento
E são tão pretenciosos, que todos negam que possuem um tento.

Mas a vida é isso: aparência.
Não é apenas ser bonito ou feio como todos pensam.
É aguentar o tranco de todos os estresses em retaguarda,
não mandar determinado alguém ir se foder  quando acabar a calma.

Está tudo tão informatizado que a vida se resumiu a copiar e colar.
São mil redes sociais pra esconder o que tem dentro da cartola.
Não do mágico, mas da realidade né?
Aquela que todos fingem não ver.

Ninguém está nem aí para ninguém,
uma mesma espécie de desconhecidos
gozando de livre arbítrio. Ah! Se soubessem...
que o inferno é aqui e não tem como fugir.

Vômito Administrativo

Vômito. Administração é puro vômito. Era isso que pensava durante o seminário. Qualquer ferramenta inventada por um grande teórico, não passa de mais uma ferramenta para manipular e controlar o funcionário a seu favor. Alienação e vômito.
Os professores não colaboram e esse é o papel deles como colaboradores. Não que eles sejam despreparados, pessoalmente acho que são pessoas que nunca quiseram realmente ser professores, fecha o parêntese.
Você percebe isso quando o professor diz que se você esquecer a matéria é porque não aprendeu, você saca na hora e pensa “parceiro, você está errado”. Existem N motivos para isso acontecer e um deles pode ser a sua explicação, afinal métodos paleozoicos já estão ultrapassados e, para mim, decorar, salvo quando não existe outra opção, é o reflexo mais nítido disso.
O fato aqui na verdade é que alienar o aluno não é a solução. O caminho certo está onde as pessoas conseguem pensar para corrigir os erros que te afetaram.

SP

São Paulo estava do jeito que gosto. Sem vida. Não tinha sol, o que deixa a cidade cinza, como se fosse possível isso, mas como se alguém jogasse um plano de fundo cinza em cima dela e isso a deixasse, morta.
O céu de nuvens opacas e por mim, poderia chover séculos, que não me importaria. No fundo, não me importo com nada, porque não tem com o que se importar.
E ficava parado ali, observando. O vento carrega as nuvens rapidamente, o que dava gosto de ver.

06/12

16 de abr de 2012
Vejo as pessoas andando por aí de roupa social, como se fossem os donos do mundo, pessoas, quem dera, são jovens mesmo e me pergunto o que estão fazendo consigo? A ganancia infiltrou esse desejo de poder na geração e ainda me indago mais, já que sou tão diferente: O que fizeram com os desejos deles? O dinheiro e o status são desejos comuns? O que fizeram com a vontade dessas pessoas? E quanto a mim? Eu errei meu caminho ou me perdi tentando reduzir minha participação no sistema? É impossível sair do sistema. Ok, já conheço esse paradigma.
Ainda assim é complicado. É como se todos já tivessem se encontrado e eu continuasse me procurando.

05/12

Quando se está com dor é mais simples de entender o animo do Dr. House. A dor destrói a tolerância, na verdade, trata dela como se fosse uma vadia. Você simplesmente desiste e a cada passo que dá pergunta por que diabo saiu de casa. A dor destrói sua parte humana ou a parte que se importa com as pessoas, afinal a dor é egoísta, só você sente ela. Não venha falar de sentimentos, ela adora essa conversinha. Dor é quando doí e não quando você está angustiado, pra ela é agonia e apenas isso.

Seios e Nádegas

Homens, a grande maioria, escolhem as companheiras baseados no conceito de belo par de seios e nádegas, não sou diferente, só mudo um pouco o critério de escolha. Prefiro um par de peitos em camisetas de banda ou de animes, justa posição de roupa e afins. É quase gay, mas isso me salva de grandes problemas e de frustrações. 
É precário ficar naquele paradoxo de calça jeans e camisetinha e mesmo quando é assim é para o par de peitos e bunda que não queriam ser vistos que estou olhando, as meninas possuem uma certa graça de serem tímidas nessas ocasiões. No geral nádegas e seios chamam a minha atenção, mas não atiçam minha vontade. Quando se pergunta a um homem o que ele olha primeiro, ele pode acabar mentindo para parecer legal, pra evitar isso eu faço uma análise geral da cabeça aos pés e depois penso no que chamou mais minha atenção. 
E são pensamentos  subjetivos. 
 
Bang Bang Escrevi | Todo conteúdo está sob a proteção da licença Creative Commons 3.0.